BLOG OMMAR

As novas regras de financiamento imobiliário da Caixa

A Caixa Econômica Federal anunciou, no dia 25 de julho, as novas regras para financiamento imobiliário. A partir de agora, a instituição passa a subsidiar imóveis de até R$ 3 milhões: o que representa o dobro do limite de financiamento em vigor até então, de R$ 1,5 milhão.

Para imóveis usados, a cota do financiamento muda de 60% para 70%; já no caso dos imóveis novos, vai de 70% para 80%.

A novidade vale para imóveis com valores acima de R$ 750 mil em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Minas Gerais.  No restante do País, as mudanças passam a valer para imóveis a partir de R$ 650 mil. Neste caso, as compras não podem ser feitas com dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) – e sim com recursos de fundos de pensão ou renda fixa, seguradoras e bancos de investimento. 

Outra alteração está no limite para quem possui financiamento em outra instituição financeira e deseja fazer a transferência para a Caixa Econômica Federal: com as novas regras, passa de 50% para 70% do valor que estava sendo financiado no outro banco. Os juros, porém, não mudam – permanecem em torno de 11,5% ao ano. Esse novo modelo de concessão de crédito, segundo a Caixa Econômica Federal, vai levar em consideração alguns aspectos de perfil do cliente, como rating ou menor cota de financiamento. 

Como planejar a compra do imóvel?

Adquirir uma casa ou um apartamento é um investimento que precisa de uma série de cuidados. Com um planejamento bem estruturado, você pode economizar na compra, fugir de armadilhas e aumentar o poder de negociação.  Veja algumas dicas para aproveitar melhor as oportunidades de financiamento e acertar na escolha da propriedade:

Seja racional 

Por mais apaixonado que você fique por um imóvel, segure a emoção. Em primeiro lugar, coloque na primeira linha do seu planejamento um lembrete: a prestação do bem não pode ultrapassar 25% da sua renda familiar. Pesquise bastante a região onde ele está localizado, defina quais são as suas expectativas para o futuro e se realmente vale a pena investir seu dinheiro naquele imóvel. 

Se você irá morar nele, lembre-se de que é preciso pensar em como será sua vida dentro de alguns anos: a família vai aumentar ou diminuir? Você vai querer continuar vivendo naquela região? Se for alugar, verifique todas as características que poderão valorizar ou desvalorizar o imóvel ou o bairro onde ele está localizado. Cheque a idoneidade da construtora, visite outras obras feitas por ela e, se considerar necessário, converse, também, com os moradores. 

Informe-se sobre seu limite de crédito

É preferível ter uma noção real da quantia que você possui e quanto dela você pode usar em um financiamento antes de tomar a decisão de compra. Converse com o banco para saber quais são os financiamentos pré-aprovados para o seu perfil. 

Preste atenção aos juros e taxas

Financiamento imobiliário ainda é algo caro. Não se esqueça de que, além das parcelas, você vai ter outras despesas a pagar, como o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (cerca de 3% do valor do imóvel) e o Registro do Imóvel (em média, 1% do valor do imóvel).  Por isso, faça simulações, compare as taxas de juros e converse com os gerentes para negociar os valores antes de fechar a compra. Entre uma instituição financeira e outra, a diferença pode ser grande. 

Alguns consultores financeiros sugerem, também, uma reserva de um terço do valor do imóvel para dar de entrada – a ideia é encurtar o tempo de financiamento e os juros. Cuidado com o tempo escolhido para quitar as prestações. Em contratos de longo prazo, imprevistos podem acontecer. 

Coloque tudo no papel

Registre tudo o que for referente ao financiamento imobiliário: preço, prazo, formas de pagamento, reajustes. Peça ao banco uma planilha de projeção das parcelas, incluindo taxas e seguros que compõem as prestações. Em caso de problemas, você poderá recorrer a essas informações e exigir seus direitos. 

Faça a escolha com segurança

Contar com o auxílio de uma imobiliária ou um corretor de imóveis pode poupar muita dor de cabeça antes, durante e após a compra. Esses profissionais também fazem com que sua busca pelo imóvel ideal seja menos demorada, pois podem mostrar opções personalizadas e ainda dar dicas para a negociação.

E você, está pensando em investir na compra de um imóvel com as mudanças nas regras de financiamento anunciadas pela Caixa Econômica Federal? Conte pra gente pelos comentários. 

Publicado: 24 de Agosto, 2016